Citação 11

“It is one of the ironies of contemporary Mozambican history that the post-independence government of the country did much more to propagate the former colonial tongue than Salazar’s Portugal ever did.” –Phillip Rothwell, Fuzzy Frontiers Mozambique: False Borders – Mia Couto: False Margins

 Esta citação faz me lembrar de uma filosofia que li sobre sociedades que tentam criar uma utopia, mas em vez de criar paz sempre veem algo ou alguém que está  bloqueando o caminho a paz, e por isso são destruídos. Era a mesma coisa para Moçambique pós-colonial. Todos queriam um país unificado e queriam acabar com a guerra, mas ideias sobre “como é que o mundo realmente deve ser” fez divisões entre o povo, e os vários lados do argumento tentavam destruir uns aos outros para melhorar o mundo. Antes da independência, havia revoluções em negritude que valorizou a cultura indígena da áfrica, mas vemos que os moçambicanos depois da independência aceitavam mais ou menos a situação que inspirou a revolução em primeiro lugar.    

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s